segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Amandus


De repente um sorriso despretensioso
Um  convite, e um canto de boca a noite.
E te pergunto: Como tu estás?
E tu me responde com um olhar tão meigo,
E algo apertado no peito...
Das palavras de Buarque em Atenas...
Digo-te que mereces "caricias plenas"
Na sina do teu riso
Amores sem igual
Um zelo incondicional.
Queria eu acordar e te entregar a mais bela flor.
Das noites te acalmar em céus
Fazer do teu entardecer, o mais claro dos dias.
Ver nos teus passos, o mais sorriso singelo.
Emaranhar  ao teu lado e segurar tuas mãos...
Na caixinha do teu afeto, me entregar sem igual.



Leandro Tavares - BaerdalCálice Sem Fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gangorra

Quando cerraste os dentes da partida, acalmei a dor da carne nua com compressas de icebergs, para tentar abrandar a saudade que achinca...