terça-feira, 14 de agosto de 2012

O percurso do dia


O sorriso do arco-íres sou eu.
Ao percurso de um rio
Rimo o nu com um segredo.
Como à primeira vez
No jardim do infinitivo
Paro.
Do pretérito, bem mais que perfeito.
Correria...
Entregaria o inverso dos versos
E recitaria sem nenhum enredo.
Contando as estrelas.
e ao fim
a rosa do dia.

Leandro Tavares – Baerdal
Cálice sem fim

Will e Louisa, como eu sou depois de vocês.

Olha o sonho de estradas esquisitas, a maturação do que é solidez e a continua ausência de quem partiu dos nossos braços. Tem que fic...