quinta-feira, 21 de maio de 2009

UM VARÃO E ALGUMAS PRETENSÕES



Um varão de grandes visões
não as empalhadas sem vidas
Um varão e seus devaneios

Como crianças banhando na chuva

E que tem a certeza que o sol irá brilhar

E um alvorecer melhor.

Com pretensões materiais

Mas que não o absorva

Sendo minha amada

Que seja para sempre

E que possa pôr carinho em meu peito

Contenha meus versos,
Com paciência revise meus poemas
Pois já escrevi piores

Não peça rima
Nem me atormente

Com um embrulho, um varão.

Que recupere a esperança que existia.



Baerdal, Cálice sem fim...

Um comentário:

  1. Espero deitar em teu peito só coisas boas... "a alegria de um barco voltando, a ternura de mãos se encontrando..."
    Sua Raianna.

    ResponderExcluir

Will e Louisa, como eu sou depois de vocês.

Olha o sonho de estradas esquisitas, a maturação do que é solidez e a continua ausência de quem partiu dos nossos braços. Tem que fic...