terça-feira, 1 de junho de 2010

Não ridicularize o amor que sinto


A vida é breve e arriscada, moça!
Por isso não ridicularize o amor que sinto.
eu peço!
Tenho no meu livro marcas tristes
histórias de pessoas que o tempo mostrou o que acontece com quem brinca e se arrisca.
De aquarela, fica ferida...
Errei, mas não cometa o mesmo erro, não abuse de minha alma, como se fosse avenida.
Nada de uma quarta-feira de cinzas
recatada, sisuda, com medo do samba
por isso não ridicularize... não ridicularize...
...não ridicularize o amor que sinto
não faz sentido...

Venha..., mas venha por inteira
não traga passado nem sonho bandoleiro
eu amo viver e é assim que vai ser
para sempre, e não será muito...
ninguém mais vai desmoronar meu mundo!
O amor é uma prece, só de quem merece!

Não ridicularize o amor que sinto...
Se for passageiro, prefiro que não chegue.
o tempo me mostra sem erro nem demora
que vale rosas todas as minhas horas
e eu quero vivê-las como eu sempre quis:
assim, feliz!...


Baerdal
Cálice sem fim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Will e Louisa, como eu sou depois de vocês.

Olha o sonho de estradas esquisitas, a maturação do que é solidez e a continua ausência de quem partiu dos nossos braços. Tem que fic...