quarta-feira, 20 de abril de 2011

Não há de ter dolo um sorriso verdadeiro


Que tua melodia fique pelo ar.

E seu estado inabalável flor.

O teu bailar um copioso luar.

E teu sorriso seja eternamente em cores.

Que nas estações

Possa sempre chamar-se fina flor.

E com o passar dos anos.

Como gotas em oceanos

Beirando a primavera

Não seja amor profano.

Ao amanhecer

Leve a magia da vida sem ira.

Não há de ter dolo um sorriso verdadeiro

Quem carrega consigo um amor inteiro.


Leandro Tavares - Baerdal

Cálice sem fim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Will e Louisa, como eu sou depois de vocês.

Olha o sonho de estradas esquisitas, a maturação do que é solidez e a continua ausência de quem partiu dos nossos braços. Tem que fic...