quarta-feira, 6 de junho de 2012

No Meu São João


Sexta – feira é São João
Tem fogueiras e baião
Tem quadrilhas na rua
Tem festa no meu torrão
Os meninos e as meninas
Já pediram a permissão
Pra pular a fogueira e casar no São João
Meu compadre Santo Antonio soltou foguete adoidado
Até homem alvejado tomou remédio tarjado
A mulher do padeiro deu pão pra todo lado
O vizinho do terreiro disparou embriagado
Tem roda a noite inteira pra quem não é encabulado
Agora chama a menina e vai arrastar o pé no chão

Dança, dança no salão
Canta a ciranda do dia
Dança, dança no salão
Roda a saia da menina.

Vem rodar a noite inteira
Não seja alcoviteira
Do silencio do meu São João.

Leandro Tavares - Baerdal
Cálice sem fim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Will e Louisa, como eu sou depois de vocês.

Olha o sonho de estradas esquisitas, a maturação do que é solidez e a continua ausência de quem partiu dos nossos braços. Tem que fic...