quarta-feira, 10 de julho de 2013

Dos contos Arthurianos


E tu cruzas o ar que rompe o silêncio
Corre tão engraçado
Como quem corre atrás do céu,
Como quem sonha com mel.
Teus braços ziguezagueando a brisa
Como um cisne que raja a água
As pernas em acanhadas rimas
tão soltas, tão bambas...
Teu ar natural carregado de um sorriso fácil
Espargindo hidratantes para a face
Vai bombinha,
Meu pequeno terrorista
Solta o molotov da alegria.
Olha...
Paraquedas de cores vivas
Faz dos teus saltos,
Dos rodopios
O sorriso da sala.
Faz dos teus gritos
A harmonia do dia.
Vai, espirra...
Pede saúde com tua energia
Faz do teu “rei”
Da tua “rainha”
Do teu “pequeno príncipe”
Os bobos dos teus dias...

Leandro Tavares – Baerdal
Cálice sem fim 

Um comentário:

  1. Que saudades de visitar o seu blog.
    Indicado para tag de incentivo a leitura

    http://livrosgratisemcasa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Will e Louisa, como eu sou depois de vocês.

Olha o sonho de estradas esquisitas, a maturação do que é solidez e a continua ausência de quem partiu dos nossos braços. Tem que fic...