sábado, 31 de janeiro de 2015

Lições de um anjo


Quando a vi juro que não acreditei
Vi um anjo sorrindo pra mim
Os olhos grandes marrons
E as asas lentamente abraçarem um réu.
Era tão novo e magicamente viciei em você.
O gosto do bom
Era o dom de ver meu riso colado com o seu
Réu confesso que me despiu
Retirou de mim o que não servia
E jogou-me em águas claras e mostrou a profundidade.
Andarilhei sem sapatos, sem rios.
E você com essa paz serviu algodões verdes.
E eu apenas te acompanhava segurando tuas mãos, E apenas te fazia sorrir.
Em troca tu me trazias a paz.
Adormeci como quem perde ar
E tu sumiste levando meu nome
Deixou o tempo, as areias do mar.
E o gosto de acreditar no impossível.

O gosto bom de amar.

Leandro Tavares - Baerdal
Cálice sem fim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Will e Louisa, como eu sou depois de vocês.

Olha o sonho de estradas esquisitas, a maturação do que é solidez e a continua ausência de quem partiu dos nossos braços. Tem que fic...