sexta-feira, 12 de junho de 2009

"BOCADINHO DE GENTE"



Indaga, chove em mim lágrimas.
Deixa-me admirado.
Põe a flama em meu perene lar.
Canto! Encanta! Dança em chamas, Chama! Foge!Dá risada!
Num rodopio que me tonteia só de olhar!
Em meus braços por blindagem se acolhe, e esgotado...
Adormece... Observo o seu sereno ressonar...
Enternecido, agradeço a Deus este presente,
Este afetuoso e encantador “bocadinho de gente!”




Baerdal, Cálice sem fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Will e Louisa, como eu sou depois de vocês.

Olha o sonho de estradas esquisitas, a maturação do que é solidez e a continua ausência de quem partiu dos nossos braços. Tem que fic...