terça-feira, 22 de junho de 2010

“Eu trago em mim todas as dores e as alegrias de quem já partiu, e de quem já ficou! Especialmente hoje…” Eliane Azevedo


O subterfúgio desnecessário...
Tanto pranto
Encanto de saudade.
No ultimo instante, ao último olhar, aniquilo-se a mágoa por entre borboletas desenhadas na parede.
Envergavas o meu destino. E como era brioso o teu corpo delineado nesse destino que me determinava o tempo.
Não consigo livrar-me desse brilho que ressoa em teu olhar esse amor
O teu sorriso beijou as estrelas do meu céu e apagou qualquer luz que delas emanava.
Amor de várias vidas os nossos corpos adormeceram em um único sonho.


Baerdal
Cálice sem fim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Will e Louisa, como eu sou depois de vocês.

Olha o sonho de estradas esquisitas, a maturação do que é solidez e a continua ausência de quem partiu dos nossos braços. Tem que fic...