quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Estou com vontade de fazer da minha vida um stradivarius


Um stradivarius totalmente sem previsão, com sons saudosos e refinados, Pode ser que daqui a um mês eu possa conseguir, pode ser que leve dias ou quem saiba até anos, ta tudo bem estou de boa estou com paciência. Eu tenho muitas, muitas coisas para dizer e fazer. A Raianna pode confirmar que eu continuo sendo uma cachoeira de opiniões e reflexões e sentimentos, de todas as qualidades.

Acho que vou prestar serviço gratuito, vou ficar horas nas praças e oferecer esses tipos de serviços, quando perceber que existe alguém a procurar uma rua, uma praça ou uma instituição irei correndo para prestar tal informação, quem sabe não me sinta melhor assim? Mas estou trabalhando, ai fico quase sem tempo de assim fazer, estou tentando fazer poesias, estou tentando, como sempre, dominar o EU, tentando não pensar asneiras, não comer comidas distorcidas de afeições, minhas refeições não consigo mais fazer, pois as vezes trago almoço do trabalho para casa é que cansei de sanduiches,estou tentando também manter meus 84 quilos. Estava pensando em fazer um Cooper nos finais de semana, entrar na academia, mas no momento desisti de tentar malhar, mas depois eu volto a pensar.

Inicialmente vou lavar minha calçada todos os dias, jogar todas as dores no esgoto, e trazer o som perdido de alguns stradivarius, se preciso for, farei o que Perseu realizou, nem que pra isso deixe meu transporte em casa e venha caminhado, eu sinto saudades de fazer alguma coisa criativa, outro dia fui a um barzinho com meu filho e fiquei ouvindo musicas aí fiquei pensando em arte, em criação, em realização. Bla bla bla. O de sempre. Que eu quero escrever, e cantar, e tocar um instrumento, e compor, e cozinhar.

Aí no dia seguinte deixei meu transporte em casa, fui caminhando durante uma semana para o trabalho é verdade (sorrisos), é que escrevia caminhando, pegava uma folha e uma caneta e começava a sair alguns rabisco de textos, parava, escrevia, parava, escrevia, o pessoal que passava por mim nos carros ficavam observando e acho que eles duvidavam se eu era normal, nem ai, sorria e dava um bom dia para eles, que se dane a opinião alheia,

Esse papo de que as palavras não deixam a alma em paz , comecei a ignorar, caneta e uma folha para elas.


Minha vida meu stradivarius.


LEANDRO TAVARES - Baerdal

Cálice sem fim

3 comentários:

  1. "Que eu quero escrever, e cantar, e tocar um instrumento, e compor, e cozinhar."

    Também preciso disso tudo para me sentir viva.

    Beijo pra ti.

    ResponderExcluir
  2. Olá Baerdal, vim retribuir tua visita.
    Já gostei daqui!
    Visto e invisto em mim; revisto minha essência anormal, reivindico a vida que pulsa, e ouço o EU que clama.
    Cara, tem VIDA neste teu texto, sinta e deixe sentir...
    Abraços de uma Mari por vezes Ane

    ResponderExcluir
  3. Renata e Mar de Ane, obrigado.

    É o que procuramos VIDA...

    ResponderExcluir

Will e Louisa, como eu sou depois de vocês.

Olha o sonho de estradas esquisitas, a maturação do que é solidez e a continua ausência de quem partiu dos nossos braços. Tem que fic...