segunda-feira, 31 de agosto de 2015

É só mais um dia comum


Ei,
Acordei cedo demais.
O que vou fazer essa hora?
não sei
Eu não sei
Vou perambular pela cidade
Pegar o primeiro rotativo
Sem dinheiro, sem cartão
Sem nexo nem razão
Eu sei que não vou me perder
É só mais um dia comum
Onde retirei a preguiçosa imaginação da cama
Ei você que passa por mim
Não fica Parado
Vai cuidar do teu sorriso
Deixa o meu do meu lado
sai do vazio, olha o sereno da rua,
Faz dele um jardim
Eu vou plantar sorrisos e você?
Imagine milhares em teu varal?
Imagina um imenso espelho no teu quarto?
Vou correr com guarda chuvas até a esquina
Esse sorriso que deu agora é pra mim?
Ei, ei...
De repente tu que me olha estranho
Faz o mesmo
Nada melhor que despertar
nadar o silencio dos olhares
Acorde cedo também, levante a mente
Sem planos, sem nada pra fazer
Deixa a chuva, a neblina te guiar
Não tome remédios controlados
Alucinógenos, não, não, não...
Voe, voe, voe, sem aterrissar...
Ei, ei...
Cheguei tarde demais...
Eu não sei se amanha vou acordar bem.


11/07/2013
Leandro Tavares – Baerdal

Cálice sem fim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Will e Louisa, como eu sou depois de vocês.

Olha o sonho de estradas esquisitas, a maturação do que é solidez e a continua ausência de quem partiu dos nossos braços. Tem que fic...